Voluntariado educativo e os PCNs

Parâmetros Curriculares Nacionais e Voluntariado Educativo: teoria e prática

O Voluntariado Educativo está em sintonia com os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) na medida em que promove a compreensão da cidadania como participação social; o exercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais; e atitudes de solidariedade, cooperação, respeito ao outro e a si próprio.

Ao analisar projetos e ações de Voluntariado Educativo das Escolas Solidárias, constatamos diversos exemplos de como elas praticam as diretrizes dos PCN, proporcionando uma formação integral a seus alunos.

As escolas mostram, com simplicidade, dinamismo e criatividade, como melhorar a aprendizagem dos alunos por meio de projetos sociais que valorizam a solidariedade e aproximam o mundo da escola do cotidiano dos alunos.

Língua Portuguesa

Dominar a linguagem oral e escrita abre as portas para o conhecimento. Ao ler, interpretar, escrever e se expressar verbalmente, o aluno ingressa na vida social mais qualificado para tomar decisões acertadas e conscientes.

Esse mundo de possibilidades abre-se na escola, primeiro espaço de convívio coletivo. Despertar o interesse pela língua materna, desenvolver o hábito de ler e o prazer da escrita são considerados por muitos educadores os principais desafios da educação básica.

Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa, para formar bons leitores é preciso manter o contato com textos diversificados. Quanto mais variados e interessantes forem os textos, maior será a chance dos estudantes se tornarem leitores.

Veremos a seguir como algumas Escolas Solidárias criam espaços efetivos e criativos de aprendizagem da Língua Portuguesa e contextualizam o que se aprende na escola por meio do envolvimento e da co-responsabilidade na tarefa de solucionar problemas sociais.

Matemática

A Matemática deve ser considerada como um caminho que possibilita a compreensão e intervenção no mundo. Não é uma ciência imutável, é uma disciplina viva, que permite encontrar soluções para questões da vida diária, gerando novos conhecimentos e saberes para a construção da cidadania.

Para despertar o interesse pela Matemática na vida do aluno, é preciso articular os conteúdos apresentados na escola com atividades do cotidiano, que serão úteis em sua vida escolar e, mais tarde, na vida profissional. É preciso dar sentido a esse aprendizado como um instrumento importante para compreender e transformar o mundo a sua volta.

A capacidade de abstração, a capacidade de pensar múltiplas alternativas para a solução de um problema e a capacidade de buscar conhecimento são competências essenciais para o exercício da cidadania e muitas escolas buscam situações de aprendizagem para o seu desenvolvimento, como as que veremos a seguir.

Artes

Arte é uma das disciplinas que mais incentiva o desenvolvimento de habilidades como criatividade, atenção, observação e concentração, recursos indispensáveis para outras áreas do conhecimento humano.

Muitos trabalhos realizados na disciplina de Arte abordam conteúdos dos temas transversais e facilitam a compreensão de fatos históricos, movimentos culturais, fenômenos sociais, questões políticas e relações humanas.

O aluno, quando entra em contato com manifestações artísticas, pode desenvolver a própria sensibilidade, estimular a imaginação, adquirir e cultivar maior senso artístico e estético. Além disso, suas capacidades são ampliadas ao exercitar diferentes sentidos do corpo – como tato, visão e audição – e ao aprimorar a linguagem verbal, escrita e corporal.

Veja como as Escolas Solidárias, no desenvolvimento de projetos de Voluntariado Educativo, usam as aulas de Arte para enriquecer a prática pedagógica de maneira crítica, participativa e transformadora.

Meio ambiente

Ao trabalhar questões do meio ambiente em sala de aula, é possível discutir com o aluno os limites da ação humana, o uso sustentável das riquezas naturais e a valorização da biodiversidade.

As ações realizadas pelas Escolas Solidárias vinculam o estudo do meio ambiente a sua comunidade, explorando a realidade na qual a escola e a comunidade estão inseridas.

Ao articular os conteúdos da sala de aula ao dia-a-dia, o aluno percebe mais facilmente como os problemas ambientais afetam a qualidade de vida local e global.

Como veremos a seguir, os alunos inseridos em projetos ambientais desenvolvem valores, atitudes e posturas éticas que certamente levarão para o resto de suas vidas.

Pluralidade Cultural

O Brasil é um país de grande diversidade cultural. Embora esta seja sua riqueza, muitas vezes forjam-se estereótipos. Contra esse processo, é necessário reconhecer as diferenças como caminho mais rápido para superar o racismo e a discriminação.

Para desenvolver esse tema transversal, os PCN propõem reconhecer as qualidades da cultura brasileira, valorizando-a criticamente e enriquecendo, dessa forma, a vivência da cidadania. Além disso, sugerem o desenvolvimento de atitudes de solidariedade em relação às pessoas vítimas de qualquer tipo de discriminação.

As diferenças de raça, etnia, classe social, crença religiosa, sexo ou outras características individuais ou sociais marcam a vida social brasileira, e a escola é um dos lugares onde esse cenário se apresenta.

Abaixo, mostramos como projetos de Voluntariado Educativo buscam o exercício da cidadania por meio da compreensão da pluralidade cultural brasileira e permitem compreender que a desigualdade social é um problema de todos e uma realidade que pode ser transformada.

Saúde
A educação para a saúde começa na escola e, quando essa se compromete com a saúde de seus alunos, passa a ser referência para a prática de uma vida saudável.

Os PCN prevêem que os alunos sejam capazes de compreender a saúde como direito de cidadania, valorizando ações de promoção, proteção e recuperação, além de conhecê-la nos aspectos físico, psíquico e social. Para isso, sugerem a articulação desse tema transversal com o cotidiano dos alunos.

A escola pode oferecer o aprendizado de uma educação para a saúde de diferentes maneiras. Abaixo mostramos como o desenvolvimento de conteúdos curriculares aliados a atitudes de solidariedade e cooperação geram mudanças nas vidas dos alunos e de toda comunidade escolar.