Voluntariado Educativo

Assista a seguir ao vídeo sobre voluntariado educativo.

[flv image=”http://www.facaparte.org.br/facaparte/wp-content/uploads/2011/04/vol_edu.jpg”]http://www.facaparte.org.br/facaparte/wp-content/uploads/2011/04/voluntariado%20educativo.flv[/flv]

O voluntariado educativo é uma proposta que visa estimular a cultura do voluntariado, com caráter pedagógico, a partir do desenvolvimento de projetos que potencializam a principal função da escola: promover a aprendizagem, preparando o aluno para a vida e para o trabalho.

Atuações sociais integradas ao currículo escolar têm também o objetivo de melhorar a qualidade de vida da comunidade onde a escola está inserida.

A importância do Voluntariado Educativo

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) privilegia “processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais.”. Além disso, “a educação deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à prática social.”

O voluntariado educativo possibilita que alunos, professores, funcionários, pais e demais agentes se envolvam com a escola, vivenciando valores tais como solidariedade, comprometimento, respeito às diferenças, por meio da atuação em projetos e ações articuladas com o currículo escolar; dá novos significados aos conteúdos curriculares e potencializa a formação de cidadãos envolvidos com a solução de problemas de suas realidades, sejam eles sociais, educacionais, de saúde, ambientais, entre outros.

Neste contexto, a cidadania, entendida como efetiva participação social e política, observância de direitos e deveres, é exercida plenamente por meio de atuações voluntárias que assumem caráter educativo. Uma vez que estas experiências possam ser vivenciadas desde a infância, há enorme probabilidade que este tipo de atuação e compromisso social e político perpetuem-se ao longo da vida dessas pessoas.

Desenvolvendo o Voluntariado Educativo

Os projetos de voluntariado educativo desenvolvidos pelas escolas devem estar alinhados aos seus projetos pedagógicos, pois, do contrário, serão apenas trabalhos voluntários dissociados do contexto educativo.

O voluntariado educativo pode acontecer de três formas:
– Escola – comunidade
– Comunidade – Escola
– Escola – Escola

Escola – Comunidade
Alunos, professores, direção, coordenação e/ou funcionários identificam e trazem problemas vivenciados por eles, pelos pais ou por vizinhos, ou ainda situações-problema relativas ao seu entorno, ao seu ambiente. A partir desse diagnóstico, pode-se desenvolver um projeto de voluntariado educativo que contextualize conteúdos curriculares alinhando-os a ações ou projetos sociais que tenham por objetivo atenuar ou resolver os problemas identificados.

Tais projetos são muito relevantes, pois atribuem novos significados aos conteúdos ao mesmo tempo em que viabilizam a vivência de valores; complementam os trabalhos de sala de aula; facilitam e enriquecem as possibilidades de trabalhos com temas transversais; permitem aos alunos o desenvolvimento de sua capacidade crítica e a buscar soluções construtivas, criativas e solidárias para diversas situações-problema.

Comunidade – Escola
A presença da comunidade na escola é muito bem-vinda desde que não substitua ou se confunda com as atividades dos funcionários da própria escola, e não prejudique as atividades escolares.

A presença de membros da comunidade atuando na escola precisa ser planejada, coordenada, além de perfeitamente vinculada à sua proposta político-pedagógica. Deve ter como objetivo principal, a melhoria da educação.

A escola deve avaliar suas necessidades, sejam elas pedagógicas ou de infra-estrutura, e definir como será a participação dos voluntários, os objetivos, as diretrizes e estratégias.

Os voluntários devem ser bem acolhidos, devem ter clareza do que se espera deles e devem ser motivados para a execução dos trabalhos. Estes aspectos são fundamentais para o sucesso e permanência das ações.

Escola – Escola
Num primeiro caso, são projetos realizados por integrantes de uma comunidade escolar voltados para ações e atividades dentro da própria escola, tais como monitorias, reforço escolar, infra-estrutura entre outros. São chamados intra-escolares.

Nos chamados intra-escolares, os projetos são realizados entre duas ou mais instituições de ensino e podem ter os mesmos propósitos dos projetos intra-escolares.

Neste caso, os ganhos poderão ser muito significativos caso se estabeleçam parcerias que visem à formação de redes escolares.